quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Ensaios sobre a Filosofia da Inveja

“O socialismo é a filosofia do fracasso, o credo da ignorância e o evangelho da inveja”.  Winston Churchill
 
O ser ignorante, inculto, de baixo Qi, tem uma forte tendência a ser autoritário. O mais ditador de todos é sempre o menos inteligente do seu meio. A pessoa não possui capacidade para pensar, planejar, organizar, empreender, e se utiliza de um discurso de força para oprimir quem é contrário a sua opinião, pois só sabe mandar e acha que os outros são seus subordinados. E como ele é invejoso também, por ser um fracassado na vida, começa a pensar que outra pessoa não mereça possuir o que tem, ser o que é, em sua riqueza cultural, espiritual e/ou financeira. Acha que só ele possui o mérito para poder ser alguém. Mesmo que ele nunca tenha trabalhado, estudado, corrido atrás de alguma forma honesta para conseguir realizar os seus sonhos.

É justamente nesse esgoto social que nasce o socialismo. É a tentativa de reverter a ordem natural das coisas, as leis do universo. É uma tentativa desonesta de se apoderar do que não é seu. Seja de qual partido político for. Seja referente a qualquer pessoa sem partido, seja referente a qualquer massa da manobra, “gado”. De qual classe for, desde o mais humilde biscateiro, até o banqueiro bilionário corrupto ajudado por um governo. O sentimento coletivista forçado, o sentimento socialista sempre irá prevalecer como a justificativa da inveja.

E por fim, o PT – Partido dos Trabalhadores assume o poder no Brasil, assim como qualquer outro partido socialista ou social-democrata que assume o poder em outros países do mundo. Apenas um diagnóstico diante da mentalidade do século XXI, que cada vez mais está atrelada a teses do século XIX. Os socialistas se renovaram. Arrumaram um jeito melhor de te destruir como indivíduo sem você perceber.


Célio Azevedo.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

A Luta Não Acabou!

A luta ainda não acabou.

Apenas começou! 2018 já está aí. E a Dilma vai cair, talvez até antes disso.


Célio Azevedo.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014