segunda-feira, 2 de julho de 2018

Four Seasons - Vivaldi

O esquerdismo é uma doença mental


‘Não é preciso nenhum estudo especial para saber que, invariavelmente, o discurso comunista, pró-comunista ou esquerdista é cem por cento baseado na exploração da compaixão e da culpa. Isso é da experiência comum. Mas o que o dr. Lobaczewski e seus colaboradores descobriram foi muito além desse ponto.’
‘Eles descobriram, em primeiro lugar, que só uma classe psicopatas tem a agressividade mental suficiente para se impor a toda uma sociedade por esse meios. Segundo: descobriram que, quando os psicopatas dominam, a insensitividade moral se espalha por toda a sociedade, roendo o tecido das relações humanas e fazendo da vida um inferno. Terceiro: descobriram que isso acontece não porque a psicopatia seja contagiosa, mas porque aquelas mentes menos ativas que, meio às tontas, vão se adaptando às novas regras e valores, se tornam presas de uma sintomatologia claramente histérica, ou histeriforme.’
‘O histérico não diz o que sente, mas passa a sentir aquilo que disse – e, na medida em que aquilo que disse é a cópia de fórmulas prontas espalhadas na atmosfera como gases onipresentes, qualquer empenho de chamá-lo de volta às suas percepções reais abala de tal modo a sua segurança psicológica emprestada, que acaba sendo recebido como uma ameaça, uma agressão, um insulto.’ – Olavo de Carvalho (trecho do prefácio)


O principal erro de Kant


Não existe conceito mais autocontraditório de que não existem verdades absolutas. O relativismo de que não existe verdade universal é um erro de leitura da realidade e induz ao erro.

Kant acreditava que só podemos conhecer aquilo que passa pelos nossos cinco sentidos, todavia dizia também que podíamos conhecer racionalmente as coisas que não passam pelos nossos sentidos, o que seria impossível.

O homem seria parte do universo, e você não pode compreendê-lo porque não está fora dele. Você pode ter acesso ao objeto, mas não ao conteúdo deste objeto. Em consequência disso, a verdade existe mas você não tem acesso à ela, tu tens somente o agir moral. Kant não admitia a existência do universal, nem no mundo material, nem no mundo inteligível.

Segundo Santo Agostinho, o conhecimento só vale se for para chegar até Deus. A mente, como a parte superior da alma humana, é a imagem da Santíssima Trindade. Ainda que de forma limitada, conhece verdades eternas através da iluminação divina, cujo fim é levar o homem à Verdade Universal.

Dessa forma, entende-se que podemos buscar a verdade absoluta através da transcendência divina e que a filosofia não deve ser centrada apenas no homem, como é na modernidade.

Célio Azevedo.
Cientista Político